Uma revolução por um mundo mais consciente e empático. Vamos nessa? 

Trainer, coach e mentora Ana Lu Tanaka
@trevo360

Comentei a diferença entre compaixão X empatia, falei também um pouco de como a empatia pode fortalecer nossas relações – leia aqui, mas, antes de tudo, faltou quebrar essa crença de que os seres humanos são egoístas e individualistas e dar algumas dicas de como podemos desenvolver esse nosso lado empático para começarmos uma revolução! Então vamos lá…

Muitos filósofos diziam que somos criaturas voltadas para nossos próprios interesses e egoístas, mas novas pesquisas mostram que também somos Homo Empathicus, fisicamente equipados para sentir empatia. Neurocientistas identificaram em nosso cérebro um conjunto de circuitos da empatia. Biólogos evolucionistas mostraram que somos animais sociais que evoluímos naturalmente para ser empáticos e cooperativos. E psicólogos revelaram que até mesmo crianças de três anos são capazes de sair de si mesmas e ver a partir da perspectiva de outras pessoas. 

O que quero dizer com isso? O mundo não está perdido e ainda podemos contribuir participando do que chamo de revolução por um mundo mais consciente e empático!

Ok, como podemos acionar nosso potencial empático? Separei 3 ações que podem contribuir nesse desenvolvimento:

Ação 1
Mude seu modelo mental e crenças: Mude seu modo de pensar, quebre essa crença que você tem de que as pessoas são egoístas, já que agora você sabe que somos seres empáticos por natureza. E porque a crença de que o ser humano é ruim não ajuda, só nos torna piores. Aqui entra um pouco da lei “Ação e reação”: acredito que o ser humano é egoísta, vou agir de uma forma de acordo com isso e a reação será algo parecido mesmo.

Seja exemplo para outras pessoas. Siga aquela famosa frase que ouvimos sempre e não sabemos de onde veio: “Seja a mudança que você quer ver no mundo” – Gandhi.

Ação2
Treine sua empatia: Faça um esforço consciente para se colocar no lugar do outro – inclusive daquela pessoa totalmente diferente de você – muitas vezes é aquela pessoa que você não se dá muito bem-, para reconhecer a humanidade e individualidade dela. Treine também viajar na mente de outras pessoas por meio da arte, literatura, cinema e redes sociais. 
Muitas vezes, quando conseguimos desenvolver um alto grau de empatia, percebemos que, talvez, vivendo as mesmas experiências, crenças e modelo de mundo da pessoa, poderíamos ter as mesmas atitudes ou até piores. Por o que ela passou para ser desse jeito? Quais foram as experiências da vida dela que fizeram com que ela tenha esse comportamento? Você não sabe…

Ação3 
Explore realidades diferentes da sua: Busque conhecer outras realidades e culturas. Pratique a arte da conversação, desenvolva a curiosidade por estranhos e a escuta ativa. Saia um pouco do seu mundinho individual para entrar em outros mundos. 

“Poderia haver maior milagre do que olharmos com os olhos do outro por um instante?”Henry David Thoreau

Não é uma tarefa fácil, mas como dizem, com a prática vem a perfeição! Praticando essas 3 ações, convido você a ajudar a inspirar uma revolução empática para sermos e termos pessoas melhores e, com isso, promover essa mudança que queremos ver no mundo. 

De novo, vamos nessa?!

 

Deixe uma resposta

Open chat